Ruas exclusivas para pedestres em Paris

No início deste ano a atual Prefeita Anne Hidalgo anunciou medidas para minimizar o número de veículos particulares nas ruas e incentivar o uso de transportes não poluentes.

Leia o artigo que preparamos sobre o assunto aqui. Em resumo,  o plano é restringir o tráfego de automóveis na região central e recuperar o espaço público aos pedestres e ciclistas. Mas existem ruas, algumas bastante famosas e outras nem tanto, que já são de uso exclusivo dos pedestres e valem a pena serem incluídas no roteiro, seja pela atmosfera agradável, serviços oferecidos, arquitetura única ou todas as alternativas anteriores. Vamos a elas:

Rue Montorgueil – a gastronômica

Desta listá é, provavelmente, a mais conhecida do público em geral graças ao espetáculo proporcionado todo fim de ano com uma decoração natalina esplêndida e seu tradicional Marché de Noël que atrai locais e turistas. Centro do quartier Montorgueil, no 2ème, essa é via principal de comércio do bairro, com incontáveis restaurantes, quitandas, cafés, açougues, creperias, pâtisseries, pizzarias, bares populares, etc – alguns estabelecimentos estão entre os mais antigos de Paris. Fácil imaginar que está sempre movimentada – e está, principalmente, no almoço e jantar – mas o fato de ser exclusiva aos pedestres muda tudo. Em dias ensolarados, quando as terraces estão cheias, o clima é como férias num vilarejo animado e cheio de vida. Metrô: Sentier (linha 3) e Les Halles (linha 4).

Rue Montorgueil – 2eme.

Place de Valois – a discreta

A Place de Valois é um daqueles lugares escondidos e discretos que adoro e que, apesar de sua localização digamos assim, “na cara do gol”, passa batido até por muitos parisienses. Essa antiga rua é, na verdade, um pátio de pedra cercado pelo Ministério da Cultura e Comunicação e também pelo 5 estrelas Grand Hôtel du Palais Royal. Seu acesso se dá por uma entrada sob as arcadas do Palais Royal, próximo à intervenção artística, Colonnes de Buren, ou pela Passage Verité, na rue des Bons Enfants com a rue Montesquieu.  Na Place de Valois há somente um charmoso bistrot com sua terrace convidativa. Os carros são proibidos de circular, o que confere à essa pequena praça uma atmosfera tranquila e longe da agitação do bairro. A Rue Saint-Honoré e o Louvre estão a uma curta caminhada. Metrô: Palais-Royal (linha 1).

Place de Valois – 1er.

Rue des Rosiers – a vibrante

Essa pequena rua de 171 metros de extensão situada no coração do quartier judaico, no 3ème, é vibrante e concentra um pouco de tudo que o Marais oferece de melhor: de marcas hypadas a bons brechós (tem que garimpar!), lojinhas descoladas e restaurantes, boulangeries e pâtisseries kosher perfeitos para uma refeição rápida e barata. Bons exemplos são o L’ As du Fallafel, famoso por seu sanduíche de falafel conhecido em toda a cidade (prepare-se para encarar uma fila!) e as padarias e docerias Sacha Finkelsztajn, Korcarz e Florence Kahn. Há ainda a minúscula creperia La Droguerie du Marais, que serve um dos melhores crepes na minha opinião, uma loja da deliciosa casa de chá Kusmi Tea e uma boutique das nossas queridíssimas Havaianas. Apesar de já ter sido descoberta pelos turistas, a influência judaica garante a autenticidade do lugar. Metrô: Saint-Paul (linha 1).

Rue des Rosiers – 4ème.

Avenue de Camoens – a poética

Situada no 16ème e com apenas 115 metros de comprimento essa é, provavelmente, a avenida mais curta de Paris. Em uma das extremidades está a rue Benjamin Franklin e, na outra, uma escadaria de 10 metros de altura que oferece uma vista linda e muito particular da torre. Note que no prédio em frente, do outro lado da rua, há uma pequena escultura com dois anjinhos na ponta que dão um toque romântico ao cenário da foto – há uma breve cena no filme Meia-Noite em Paris que capta essa vista. Lá embaixo passa o Boulevard Delessert e na base dessa escadaria larga e imponente encontra-se o busto do poeta lusitano Luis de Camões esculpido por Clara Menéres, em 1987. Terminados os cliques, o Trocadéro está a 6 minutos de caminhada. Metrô: Passy (linha 6).

Avenue de Camoens – 16ème.

Rue des Barres – a medieval

Uma das ruas mais antigas de Paris se esconde atrás dos limites da Igreja Saint-Gervais, no 4ème, próximo ao Hôtel de Ville e a uma curta distância da Île Saint-Louis. Essa via de 130 metros nos remete à Idade Média à época de sua construção, no séc. XII. Em dias de sol, a terrasse do pequeno café l’Ebouillanté fica cheia, mas de uma maneira geral, a rua mantém uma atmosfera pacata e pitoresca. Metrô: Pont Marie (linha 7).

Rue des Barres – 4ème.

Bisous,

Carol

Quando comecei o 30 Jours à Paris no instagram, o objetivo era manter família e amigos a par de minha viagem por 1 mês na Cidade Luz, em abril de 2015. Mas algo melhor aconteceu ao longo do caminho: pessoas de diferentes partes do mundo, com o mesmo interesse e paixão por Paris, passaram a acompanhar minha aventura e a compartilhar suas experiências comigo. O que começou como um hobby pontual se transformou em um projeto que tenho orgulho de tocar diariamente e que me leva sempre de volta à essa cidade que tanto me inspira. Espero que o 30 Jours à Paris inspire você também!

 

 

 

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *