As melhores comidas de rua da Itália

Não preciso falar que a Itália, além de ser linda, dispõe de uma das melhores gastronomias do mundo, né? E o melhor de tudo é que não é difícil encontrar bons lugares para comer no país. Qualquer restaurante, por menor que seja, vai ter uma boa opção para oferecer.

Mas, de uns anos para cá, as comidas de rua também vêm crescendo ao redor do mundo (e pela Itália não é diferente). Elas são uma excelente opção para quem faz turismo e curte uma refeição rápida e que se possa comer passeando pela cidade.  Baseado nisso, o site da Condé Nast Traveller divulgou 12 comidas de rua que todo mundo deve provar quando for ao país. Já deu água na boca!

Pesce Fritto al Cono: é uma espécie de “peixe à milanesa”, uma comida tradicional e fácil de ser encontrada principalmente nas cidades portuárias. Em muitas delas, você acompanha todo o processo (desde a pesca, até a fritura dos frutos do mar). A comida é fresquinha, já que a pesca provém das embarcações que chegam nos portos de manhã.

Crédito foto: George Oze/ Alamy
Crédito foto: George Oze/ Alamy

Zeppole: doce bastante conhecido nas padarias da Itália. Conta-se que foi originado em Nápoles, mas hoje é fácil de encontrar em qualquer cidade. A receita se resume em uma massa, frita, e com diversas coberturas, como geleia, creme, chocolate e a original (coberta de açúcar).

Crédito foto: Antonio Gravante/ Alamy
Crédito foto: Antonio Gravante/ Alamy

Stigghiola: é o que nós chamamos de “espetinho”. Mas, na Itália, o stigghiola  é feito basicamente com a carne do intestino de ovelhas, e às vezes de cabras ou galinhas. Pode parecer nojento, mas é delicioso – e você também vai encontrá-los com facilidade também em outros países, como China, Argentina, Uruguai e Turquia.

Crédito foto: Ian Miles-Flashpoint Pictures / Alamy
Crédito foto: Ian Miles-Flashpoint Pictures / Alamy

Pani ca meusa: significa “pão com baço”. Sim, esse sanduíche siciliano é recheado com pedaços de pulmão e baço de vitela. Mas, acredite, o gosto é melhor do que parece ser, ainda mais se você “esquecer” qual é o recheio. A mistura de pão, carne macia e queijo gratinado é uma refeição saudável e saborosa.

Crédito foto: Brian Yarvin/ Alamy
Crédito foto: Brian Yarvin/ Alamy

Arancine: é uma das comidas de rua mais famosas do país. Se você acha os pratos acima muito ousados, tente provar esse “croquete”. São bolinhos de arroz fritos, crocante por fora e cremosos por dentro, com recheio de queijo, ervilha e frango ou carne picada.

Crédito foto: JTB MEDIA CREATION, Inc./ Alamy
Crédito foto: JTB MEDIA CREATION, Inc./ Alamy

Panzerotti: é uma massa em forma de meia luna, com recheio semelhante ao de um calzone. Geralmente, é recheado com uma combinação de tomates e queijos derretidos. Ao longo do tempo, o panzerotti se tornou tão popular que é servido até mesmo em diversos restaurantes.

Crédito foto: SFM Milano/ Alamy
Crédito foto: SFM Milano/ Alamy

Panino con porchetta: certamente é a comida de rua mais conhecida e difundida em toda a região central da Itália. A receita se resume, basicamente, à carne de porco (sem ossos e sem vísceras), temperada com sal e ervas, assadas em churrasqueiras. Depois, a carne é cortada e pode ser servida de diversas maneiras, inclusive acompanhada de um bom panino.

Crédito foto: travelimages / Alamy
Crédito foto: travelimages / Alamy

Panelle: é possivelmente a comida de rua mais simples da Itália. Consiste em polenta de grão de bico, cortada em fatias grossas e depois assada em azeite de oliva. Depois, são servidos em croquetes ou empilhados e comidos como sanduíches.

Crédito foto: Gandolfo Cannatella/ Alamy
Crédito foto: Gandolfo Cannatella/ Alamy

Piadina: esse prato é dedicado aos vegetarianos. É parecido com o que chamamos de wrap: um pão crocante, feito de farinha, sal e água, com diferentes recheios. Um dos mais tradicionais e saudáveis é com queijo mussarela fresco e chicória.

Crédito foto: Hemis/ Alamy
Crédito foto: Hemis/ Alamy

Crema fritta: sim, é um creme frito! Bastante conhecido na região de Vêneto, é um creme espesso, preparado à milanesa e depois frito. Servido em um cone de papel, para que as pessoas possam apreciar enquanto passeiam pelas ruas.

Crédito foto: Simon Reddy/ Alamy
Crédito foto: Simon Reddy/ Alamy

Lampredotto: é mais uma comida que não “soa” apetitosa, mas é. Lampredotto é basicamente estômago de vaca, cozido em caldo picante de tomate, cebola, aipo e salsas. Acredite, é altamente saboroso! O prato pode ser servido sozinho, em sanduíche ou em um bolo.

Crédito foto: Domenico Tondini/ Alamy
Crédito foto: Domenico Tondini/ Alamy

Oliive all’ascolana: por fora, uma massa crocante à milanesa. Por dentro, a azeitona ascolana recheada com carne moída temperada e, às vezes, acompanhada de queijo parmesão. Não tem como ser ruim!

Crédito foto: Riccardo Sala/ Alamy
Crédito foto: Riccardo Sala/ Alamy

Leave a Response