Destinos Românticos – 40 anos OP Turismo

A OP Turismo completa 40 anos e um evento super especial foi organizado para este fim de semana em Porto Alegre. Entre as atrações, uma exposição de fotos sobre os melhores destinos para lua de mel com nossa curadoria! Nesse post, você confere tudo sobre cada um dos locais em destaque no evento.

África do Sul

CANDI_AFRICADOSUL

Sobre: é o maior e mais desenvolvido país do continente africano. Faz fronteira com cinco países e é banhado pelos oceanos Índico e Atlântico. O inglês é um dos onze idiomas oficiais, e a influência da colonização inglesa é bastante visível nas grandes cidades , principalmente na Cidade do Cabo, uma das três capitais.

O que saber antes de ir: é obrigatório apresentar a carteira de vacinação contra a febre amarela (que deve ser tomara no mínimo 10 dias antes da viagem). É importante também ter o passaporte com pelo menos uma página em branco (para o tamanho do carimbo). Só aceitam a moeda local, o rand. É preciso estar atento com a segurança na maioria das cidades.

Quando ir: entre março e novembro (para curtir safáris) e entre outubro e abril (para curtir as praias).

Onde se hospedar: San City (complexo de resorts a duas horas de Joanesburgo); Cape Grace e One&Only (na Cidade do Cabo); MalaMala ou Camp Jabulani (para safáris,  ficam junto ao Kruger Park); Hotel Michelangelo (Joanesburgo).

O que conhecer: Cidade do Cabo (praias de Camps Bay e Jeffreys Bay e Plettenberg Bay, Table Mountain, Cabo da Boa Esperança, passeio por waterfront); parque temático uShaka Marine World (em Durban, para quem curte mergulho com tubarões); Kruger National Park (para safáris); rota dos vinhos.

Quanto tempo ficar: no mínimo uma semana (o voo direto de São Paulo à Joanesburgo leva cerca de 8h30min). Reserve três dias para o safári, outros dois para Cidade do Cabo  e o restante para as praias/rota dos vinhos.

O que não pode faltar na mala: muito protetor solar e repelente, já que o clima no país é sempre quente.

Mais sobre a África do Sul nesse link, do Spice.

Camboja

GABRIELLA_CAMBOJA_2

Sobre: é um Estado soberano localizado ao sul da península da Indochina, no Sudeste Asiático. Camboja é um misto de alegria e tristeza. Alegria devido aos templos, e tristeza por causa do sofrimento do povo Khmer e da pobreza.

O que saber antes de ir: brasileiros precisam de visto para turista. Para isso, é necessário levar uma foto 3×4 e pagar uma taxa de US$ 20 no aeroporto. A moeda local é o riel, mas o dólar é facilmente aceito na maioria dos lugares.

Quando ir: entre novembro e abril (época de seca).

Onde ficar: Hotel Grand Raffles D’Angkor;

O que conhecer: os templos de Angkor (Angkor Wat, Bayom, Ta Phrom); Palácio Real; passeio noturno pela pub street (onde estão os night markets).

Quanto tempo ficar: pelo menos dois dias.

O que não pode faltar na mala: roupas leves e adequadas para visitar os templos (não há nenhum luxo por lá); chapéu; protetor solar.

Mais informações sobre Camboja nesse link.

China

MANOELA_CHINA

Sobre: maior país da Ásia Oriental e mais populoso do mundo, com mais de 1 bilhão de habitantes. Tem temperaturas extremas de calor e frio no verão e inverno. É uma república socialista e o governo é bastante autoritário (principalmente no que se refere à internet, imprensa e religião).

O que saber antes de ir: brasileiros precisam apresentar visto de turista (conseguido junto à embaixada chinesa). A maioria dos chineses não falam inglês, então é preciso estar preparado (uma sugestão é contratar um guia para os passeios). Nos banheiros públicos, não há privada: apenas um buraco no chão. Muitas redes sociais são bloqueadas no país.

Quando ir: entre abril e junho ou entre setembro e novembro. Nesses meses, as temperaturas são mais amenas.

Onde se hospedar: Hotel St. Regis (Pequim)

O que conhecer: Pequim (Cidade Proibida, Muralha da China, provar o peking duck, comprar as porcelans chinesas e provar os chás)Shangai (centro financeiro e caminhar nos canais de Shangai);

Quanto tempo ficar:  mínimo de 08 dias (devido à distância).

O que não pode faltar na mala: para se garantir sempre, leve papel higiênico (já que nem todos os banheiros oferecem); importante levar remédios para evitar infecções intestinais (já que a qualidade da água não é boa e a comida é muito exótica).

Outras informações sobre a China abordadas no Spice estão aqui.

Deserto do Saara

IMG_8454

Sobre: é o maior e mais quente deserto do mundo, com aproximadamente 9 milhões de km2 de extensão. Localiza-se ao norte da África e hoje, mesmo sendo um lugar exótico, é um destino muito procurado.

O que saber antes de ir: O melhor trajeto para chegar até o Saara é através do Marrocos, saindo de Marrakech. Você pode optar por ir direto (estrada de 10hrs) ou dormir em alguma cidade próxima como Skoura e Ouarzazate. Não é necessário um visto para o Marrocos, apenas um passaporte com pelo menos 6 meses de validade.

Quando ir: entre março e maio e setembro a novembro.

Onde se hospedar: O Relais & Châteaux Dar Ahlam possui um hotel na cidade de Skoura.

O que conhecer: No deserto você não há muitas atrações. A ideia é caminhar um pouco pelas dunas de areia e curtir a sensação de estar em uma cabana no meio do nada.

Quanto tempo ficar:  apenas uma noite é suficiente.

O que não pode faltar na mala:  é importante estar bem equipado para temperaturas extremas (mesmo que não pareça, no Saara pode fazer muito frio em algumas épocas do ano); também é aconselhável levar bastante água para beber.

Outras informações sobre o Saara já abordadas no Spice estão aqui.

Dubai

DSCN1519

Sobre: é um dos sete emirados que formam os “Emirados Árabes Unidos”, no Oriente Médio. Dubai é o mais populoso deles, com cerca de 2,2 milhões de habitantes.  É banhado pelo golfo pérsico. O clima lá é sempre muito quente e geralmente ultrapassa os 40 C no verão.

O que saber antes de ir: brasileiros precisam de visto para turista (a não ser que tenha dupla cidadania). O país é muçulmano: é permitido usar roupas curtas, mas demonstrações públicas de afeto e beber em público são coisas proibidas.

Quando ir: entre outubro e abril, quando as temperaturas são mais amenas (já que a cidade é sempre muito quente).

Onde se hospedar: One&Only Royal Mirage; Armani Hotel.

O que conhecer: Burj Khalifa (maior arranha céu); Dubai Mall; Mall of Emirates; Aquaventure; Museu de Dubai; Gold Souq (mercado de ouro); safári no deserto.

Quanto tempo ficar:  pelo menos uma semana.

O que não pode faltar na mala: acessórios de praia;  lenços (para garantir, já que o país é muçulmano); roupas mais elegantes para as dezenas de restaurantes mais requintados.

Outras informações sobre Dubai já abordadas no Spice estão aqui.

Maldivas

MALDIVAS_2 MALDIVAS_VALENAGELO

Sobre: as Ilhas Maldivas ficam no meio do oceano Índico e são constituídas por 26 atóis. A população de cerca de 330 mil habitantes vive em apenas 192 das mais de mil ilhas existentes no local. Cem dessas ilhas são hotéis.

O que saber antes de ir: é obrigatório apresentar certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. O visto de turista é obtido na chegada ao aeroporto da capital Malé.

Quando ir: entre dezembro e abril (verão e época de seca).

Onde se hospedar: One&Only Reethi Rah; Four Seasons Landaa Giraavaru.

O que conhecer: procure ficar em um resort bem equipado, porque a programação é descansar, aproveitar o hotel, curtir as praias e praticar mergulho e esportes aquáticos.

Quanto tempo ficar:  pelo menos cinco dias (alguns hotéis exigem no mínimo sete diárias).

O que não pode faltar na mala: tudo o que você precisa para curtir as praias e roupas descontraídas e leves. Leve também uma câmera à prova d’água para capturar os belíssimos mergulhos.

Outras informações sobre as Maldivas já abordadas no Spice estão aqui.

Provence

Crédito foto: https://www.winerist.com/tours/provence/private-full-day-wine-tour-in-provence
Crédito foto: https://www.winerist.com/tours/provence/private-full-day-wine-tour-in-provence

Sobre: é uma região da França que pertence à parte administrativa Provence-Alpes-Côte d’Azur. Fica no sudeste do país. Marselha é a principal cidade da região, conhecida pela produção de vinhos.

O que saber antes de ir:  a França não exige visto para turistas. O principal acesso à região da Provence é pelo aeroporto de Marselha. É ideal alugar um carro para conhecer bem o interior.

Quando ir: o mês de junho é um dos mais bonitos (em plena primavera, quando as lavandas começam a florescer).

Onde se hospedar:  nos Relais&Châteaus (Coquillade; Crillon le Brave; L’Oustau de Baumanière).

O que conhecer: Marselha; Avignon; vinícola La Celestiere; Les Baux de Provence (vilarejo no alto de uma montanha).

-Quanto tempo ficar: pelo menos quatro dias.

-O que não pode faltar na mala: roupas de meia estação confortáveis e algumas mais elegantes, para os restaurantes chiques.

Um guia completo da Provence já mostrado no Spice está aqui.

St. Barths

STBARTHS

Sobre: território francês  de 21 km² que faz parte das Pequenas Antilhas, no Caribe. É uma das ilhas mais charmosas do Caribe, com ótimos restaurantes, hotéis e pessoas elegantes. A moeda local é o euro, então o local é um pouco mais caro que as outras ilhas caribenhas.

O que saber antes de ir: para chegar lá há duas opções. Pode-se pegar um barco em St. Maarten (que leva cerca de 40 min a St. Barths) ou com um pequeno avião, em um dos aeroportos mais perigosos do mundo (são só 600m de pista). Brasileiros precisam de um visto tipo “C” (de curta duração, solicitado junto à Embaixada Francesa).

Quando ir: a alta temporada é entre dezembro e abril.

Onde se hospedar:  Cheval  Blanc Isle de France; Eden Rock;  Le Guanahani.

O que conhecer: as praias Shell Beach, Flamands, St. Jean; passear pelo centro de Gustavia no fim do dia; as lojinhas do centro de St. Jean e o badalado Nikki Beach; em um dia, alugue um barco na Jicky Marine para conhecer praias de acesso mais difícil, como Colombier, Gouveneur e Saline.

Quanto tempo ficar: pelo menos quatro dias.

O que não pode faltar na mala: muito protetor solar, equipamento de praia, repelente e roupas mais elegantes para os restaurantes.

Outras informações sobre St. Barths podem ser encontradas no Spice, nesse link.

Tailândia

O que saber antes de ir: brasileiros não precisam de visto de turista, mas é obrigatório apresentar documento de certificação da vacina contra a febre amarela. Na maioria dos lugares, só aceitam a moeda local, o bath.

Quando ir: entre novembro e fevereiro (época de clima temperado).

Krabi

KRABI_2 RENATA_KRABI

Sobre: fica no litoral sul da Tailândia. É menos turística que Phuket e Koh Phi Phi. A vantagem é que é de fácil acesso, já que o aeroporto fica junto do continente.

Onde se hospedar: Phulay Bay; Rayavadee Resort.

O que conhecer: Koh Pih Pih (onde estão as ilhas de Phi Phi e a famosa Maya Bay); Hong Island; para quem curte mergulhar, a “ilha do James Bond” – Khao Phing Kan- e as Ilhas Similand; centro de Krabi (Ao Nang).

Quanto tempo ficar: no mínimo três noites.

O que não pode faltar na mala: chapéu, protetor solar e roupas de praia.

Bangkok

BANGKOK

Sobre: além de ser a capital, é a cidade mais populosa do país. É um lugar bastante exótico e agitado: há muita desigualdade social, o trânsito é caótico e a riqueza dos templos se funde com a pobreza local.

Onde se hospedar: Mandarim Oriental; The Peninsula.

O que conhecer: passeio pelo rio Chao Phraya; visita aos templos (Wat Arum, Wat Pho, Wat Benchamabophit e Wat Phra Kaew); shopping Siam Paragon; Cidade Velha(onde está o famoso “flower market” e a rua das barracas de comida “Khao San Road”); mercado flutuante.

Quanto tempo ficar: pelo menos três noites.

O que não pode faltar na mala: saias longas e chales (para tapar braços e pernas na entrada dos templos) e roupas leves (devido ao calor).

Toscana 

Crédito foto: http://www.bestourism.com/items/di/475?title=Montalcino-Wine-Tour&b=71
Crédito foto: http://www.bestourism.com/items/di/475?title=Montalcino-Wine-Tour&b=71

Sobre: é uma região da Itália central cuja capital é Florença. É conhecida pelo charme das cidades, com clima mais interiorano. Também é lá que fica a principal produção de vinhos do país.

O que saber antes de ir: a Itália não exige visto de turista para brasileiros. Na Toscana, o ideal é alugar um carro (o que pode ser feito no aeroporto).

Quando ir: entre abril e novembro (melhor período para atividades ao ar livre).

Onde se hospedar: o ideal é ficar em uma cidadezinha e conhecer as outras durante o dia. Sugestões são o Borgo Santo Pietro, o Castello del Nero e Il Salviatino.

O que conhecer: além de Florença, dê um pulo no vilarejo de Monterrigione, na cidade medieval de San Gimignano, em Montalcino (cercada de vinhedos), Lucca e na Torre de Pisa.

Quanto tempo ficar: pelo menos três dias.

O que não pode faltar na mala: roupas confortáveis e conforme a estação em que vai viajar. Procure levar uma mala com espaço para as compras (principalmente os vinhos).

Tudo sobre a Toscana já abordado aqui no Spice está nesse link.

Turks and Caicos

TUKSANDCAICOS1

Sobre: o  território britânico é a nova sensação romântica do Caribe. Foi eleita em 2015 a melhor ilha para tirar férias pelo portal Tripadvisor.  O local é composto por 40 grupos de ilhas tropicais (Turcas e Caicos), que dão nome ao território. Além de paraíso turístico, também é paraíso fiscal.

O que saber antes de ir: não é exigido visto para brasileiros, mas é preciso apresentar carteira internacional de vacinação contra a febre amarela. A American Airlines oferece voos diários para Providenciáles (a ilha principal) com conexões em Miami.  É importante ficar atento aos roubos quando se vai às praias.

Quando ir: entre janeiro e abril (nos meses mais secos).

Onde ficar: Amanyara; The Regent Palms; Gansevoort.

O que conhecer: aproveite toda a estrutura dos hotéis; conheça Grace Bay e Blue Hills  (praias mais conhecida); West Caicos (para mergulho).

Quanto tempo ficar: pelo menos quatro dias.

-O que não pode faltar na mala: muito protetor solar e acessórios de praia. Leve uma muda de roupa mais elegante para curtir os restaurantes mais chiques.

Nós já falamos sobre as ilhas aqui no Spice. Acesse aqui.

 

 

 

 

Leave a Response